As

10 Metas do Manifesto X

Este é um espaço de reflexão e produção de ideias a pensar no futuro do nosso País.
É uma plataforma colaborativa e aberta a todos os contributos. Na sua raiz tem uma visão de um País cheio de gente capaz, com um imenso potencial, que genuinamente deseja um futuro de maior exigência, de maior sustentabilidade, de maior integridade, de maior justiça social e de mais esperança.
O Manifesto X é uma iniciativa da sociedade civil que visa a elaboração de propostas estruturantes para Portugal, com o objetivo de torná-lo, num prazo de dez anos, num dos melhores países do mundo para se viver.

1

Sustentar as Políticas Públicas na Felicidade e Bem-estar.

Colocar Portugal no Top 10 do ranking da felicidade mundial (67º lugar do World Happiness Report 2019).

2

Valorizar o Ambiente.

Alcançar a neutralidade carbónica no País.
Aumentar o peso das energias renováveis para 60% do consumo final de energia (28,1% em 2017).
Aumentar para 70% o nível de reciclagem dos resíduos urbanos gerados no País (30% em 2018) e a deposição de menos de 15% de resíduos em aterro (49% em 2018).

3

Priorizar a Ética e Confiança nas Instituições Públicas.

Estabilizar o nível de “satisfação com a democracia” na sociedade portuguesa acima dos 75% (64% em 2019 – Eurobarómetro).
Subir de 64 (2018) para 75 pontos no Índice de Perceção da Corrupção da Transparência Internacional (atualmente Portugal ocupa a 30ª posição)
Reduzir para metade a morosidade média dos processos judiciais (civis, comerciais, administrativos e outros – OCDE).

4

Enfrentar a Pobreza.

Reduzir taxa de incidência de pobreza para menos de 10% (17,3% em 2017 – INE).

5

Combater as Desigualdades.

Coesão social: reduzir para 20% o coeficiente de Gini (32,7% em 2017 – INE).
Coesão territorial: reduzir para metade a atual disparidade entre regiões (Índice sintético de desenvolvimento regional – INE).
Igualdade de género: Eliminar o diferencial na remuneração do trabalho entre homens e mulheres (dados de 2015 CIG: gap de 16,7% – CIG (2015) e 14,3% – OCDE).

6

Garantir Cuidados de Saúde.

Atingir os primeiros 20 lugares no HAQ (Healthcare Access and Quality) Index (atualmente Portugal situa-se na posição 32).
Colocar Portugal entre os primeiros 10 Países da UE no índice «anos de vida saudável aos 65 anos» (Portugal: 6,7–7,9 anos; Média UE: 9,4–9,6 anos; Suécia: 15,4-15,8 anos, em 2017 – Pordata).

7

Qualificar com Cultura e Educação.

Aumentar para mais de 65% a percentagem da população com, no mínimo, a escolaridade secundária completa (40,6% em 2018; 24,4% em 2008 – Pordata).
Aumentar o investimento em I&D para mais de 2,5% do PIB (1,33% em 2017 – Eurostat).
Aumentar em 50% o indicador de “participação cultural” da sociedade portuguesa (Eurostat).

8

Contrariar a Tendência Demográfica.

Tornar a taxa de fecundidade real próxima da média desejada pelas famílias portuguesas, atingindo os 2,0 (1.36 em 2016 – DGS).

9

Crescer pela Digitalização e Produtividade.

Atingir 80% da população com competências digitais básicas (50% em 2017 – Eurostat).
Assumir os serviços públicos digitais por defeito: 99% dos serviços digitalizados numa perspetiva aberta e relacional.
Atingir a média europeia na taxa de produtividade por hora trabalhada (UE = 39,8; Portugal = 26,3 em 2017– Pordata/Eurostat/INE.)

10

Controlar a Dívida Pública.

Reduzir a dívida pública para 75% do PIB (124,8% em 2017; 121,5% em 2018; 118,6% 2019 (prev.) – Programa de Estabilidade).

10 METAS PARA 10 ANOS

visitE-nos

No Instagram

visitE-nos

No Facebook